quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Voltando com Tudo!!!!


A paz cambada de Deus!
Primeiramente, desculpas pela demora de novas postagens!
Mas de agora em diante não vou atrasar mais!
Um grande abraço!
Tavinho!

A fé é a base da vida

Dunga
Foto: Ariane Fonseca
Eu quero falar a vocês da área onde cultivamos a esperança. Não existe cristão que consiga assumir um compromisso com Deus se não tiver esperança, porque sempre esperamos algo; sempre esperamos um milagre. Nós precisamos levantar os nossos olhos e perguntar a Deus de onde virá o socorro, e, ao mesmo tempo, responder: “É do Senhor que vem o meu socorro”. Isso é ter esperança, é ter fé.

(Hebreus 11,1) “A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê.”

Em uma casa, não se vê o alicerce. Mas a esperança você vê, pois ela está sobre o fundamento que é a fé. Todos nós esperamos por uma providência, cada um de nós tem a própria esperança.

O justo viverá pela fé e ela é a base de uma vida esperançosa. A esperança é a última que morre, isso é verdade. Somos homens de fé, mas a manifestamos por meio da esperança. Dia após dia nós manifestamos nossa fé, e isso ocorre por meio da esperança. Nós não podemos perder a esperança. Nós sempre esperamos coisas boas; precisamos entender que essa é um metodologia de Deus.

"O justo viverá pela fé e ela é a base de uma vida esperançosa"
Foto: Ariane Fonseca

Neste Natal não podemos perder a fé, não podemos viver de tristeza. Esta tristeza não serve para nada, mas pode atrapalhar essa esperança. Hoje é dia de Natal e é dia de retomarmos a esperança.

“Lembrai-vos dos dias de outrora, logo que fostes iluminados. Quão longas e dolorosas lutas sustentastes. Seja tornando-vos alvo de toda espécie de opróbrios e humilhações, seja tomando moralmente parte nos sofrimentos daqueles que os tiveram que suportar. Não só vos compadecestes dos encarcerados, mas aceitastes com alegria a confiscação dos vossos bens, pela certeza de possuirdes riquezas muito melhores e imperecíveis. Não percais esta convicção a que está vinculada uma grande recompensa, pois vos é necessária a perseverança para fazerdes a vontade de Deus e alcançardes os bens prometidos. Ainda um pouco de tempo - sem dúvida, bem pouco -, e o que há de vir virá e não tardará. Meu justo viverá da fé. Porém, se ele desfalecer, meu coração já não se agradará dele. Não somos, absolutamente, de perder o ânimo para nossa ruína; somos de manter a fé, para nossa salvação!” (Hebreus 10,32-39)

Essa é a maneira que vamos viver. O Monsenhor Jonas Abib nos ensinou muitas coisas, e uma delas é viver na expectativa pela segunda e definitiva vinda de Jesus. Vivemos esperando a vinda do Senhor, mas pode ser que, ao longo de toda a sua vida, isso não aconteça. Não tem problema, porque se Ele não vier, é você quem vai a Ele. Se você nutrir essa esperança, você vai se encontrar com Ele quando morrer. Mas até isso acontecer, você viverá aqui na terra só de esperança.

Deus tem planos maravilhosos para você. Mas você tem de cumprir a missão que Ele sonhou para você. Isso o fará um homem de fé. Você sabia que Deus tem algo muito bom reservado só para você? Independente do que nós sejamos, Ele tem algo reservado para nós. Precisamos, como cristãos autênticos, viver a expectativa diária de algo bom do Senhor. Quem vive de esperança vive descobrindo o que Ele tem para cada um de nós, porque a fé é o fundamento da esperança.

"Deus tem planos maravilhosos para você. Mas você tem de cumprir a missão que Ele sonhou para ti"
Foto: Ariane Fonseca

Deus tem planos, Ele tem sonhos para você em todos os momentos da sua vida. Por isso existe aquele ditado: “A esperança é a última que morre”. Depois que você fechar os olhos aqui na terra e abri-los lá no céu, não vai precisar de mais nada, pois vai estar diante de Jesus.

Você não tem o direito de perder a esperança, porque o cristão viverá pela fé. É sobre ela que você monta a sua esperança. Não viva a partir do seu problema, viva a partir da esperança que você tem de resolvê-lo.

Eu quero desejar a você um Feliz Natal com esperança. Vamos viver este dia na esperança de que tudo será solucionado. Começar alguma coisa é difícil; recomeçar é mais difícil ainda. Agora, você precisa ter a esperança de recomeçar algo. Nos momentos mais difíceis da sua vida, você vai entender que poderá ser muito feliz, porque felicidade não é a ausência de problemas, mas é a presença de Jesus. Assim você poderá, mesmo na dificuldade, abrir um sorriso para alguém. Você está ao lado do Vencedor, portanto, tenha esperança.

Participe da festa da simplicidade!


Neste Natal experimente o amor traduzido em atitudes!

Coisa boa é recebermos convite para uma festa especial! Geralmente pensamos na roupa, imaginamos o local, as pessoas que vamos encontrar, o que vamos comer, a música que vamos ouvir, e, antecipadamente, somos contagiados pelo encanto e pela alegria daquele momento sonhado.

Nesse clima de fim de ano, você está sendo convidado para uma grande festa, mas a condição para participar dela e ter um coração simples. “Bem-aventurados os pobres de coração porque herdarão o Reino dos Céus” (Mt 5,3).

Estou falando do nascimento de Jesus, Festa da Vida, da Esperança, do Amor e da partilha entre todos os povos. Já não estamos sozinhos, Deus se fez homem, está no meio de nós e nos faz irmãos. Eis o maior motivo para festejarmos!

Há um clima diferente no ar... Além das luzes e das cores, é tempo de Paz! Tempo de valorizar a vida e tudo que a cerca. Tempo de deixar nascer essa criança pura, inocente e cheia de esperança que mora dentro de nossos corações. Tempo de nos deixar contagiar pela pureza que o Menino Jesus anuncia com Sua chegada. Sua presença invade nossa alma de paz, retirando todos os vestígios de solidão e tristeza que, por uma razão ou outra, foram sendo acumulados durante o ano.

Deus veio até nós! Que notícia maravilhosa para os que creem! Quanta beleza a ser contemplada na simplicidade do presépio que O acolhe! Aliás, o mundo tem sede da simplicidade que Jesus anuncia no Natal. Na condição de cristãos precisamos nos deixar contagiar pelo nascimento de Jesus e não apenas falarmos sobre Ele como algo distante. A este propósito, o Papa Bento XVI recordava, nesses dias, que os escribas indicaram aos Reis Magos o caminho a Belém, onde o Messias nasceu, mas não se sentiram convidados para irem lá contemplá-Lo: “Informaram o nascimento do Salvador, mas a informação não se converteu em formação da sua própria existência”.

A boa notícia do nascimento de Cristo precisa nos contagiar, nos envolver e mudar nossa vida.

Já não estamos sozinhos, o Salvador está no meio de nós e veio com simplicidade! Portanto, sem essa virtude, não tem como celebrar seu Natal. A simplicidade leva-nos à liberdade... Sejamos livres para amar, para acolher e servir do jeito de Jesus. Abramos o coração para receber o Menino pobre, que nasceu numa manjedoura, fazendo-nos entender que o ser humano vale por aquilo que é e não pelo que faz ou possui. Sejamos canal da paz e do amor que Ele trouxe ao mundo.

Neste Natal experimente o amor traduzido em atitudes. A luz divina manifesta-se nas “boas obras” que realizamos. Desarmemos o coração de tudo que é supérfluo e passageiro e deixemo-nos contagiar pelo amor que emana do presépio de Belém.

Que haja simplicidade e paz na terra e em nossos corações. Assim é Natal!

Foto Dijanira Silva
dijanira@geracaophn.com
Dijanira Silva Missionária da Comunidade Canção Nova, em Fátima, Portugal. Trabalha na Rádio CN FM 103.7

À espera do Natal


Natal é tempo de receber o Presente

Mal começa a preparação de uma festa, qualquer que seja, a febre das compras e das vendas incendeia o comércio. Comprar, para quem tem um bom poder aquisitivo, é fonte de prazer; e vender, para quem comercia, é fonte de lucro. O comércio é o lugar da troca. O dinheiro é o documento que, desde tempos muito antigos, simplificou esta coisa admirável de cambiar serviços e bens.

O papel-moeda, ou simplesmente, a moeda, dá ao portador o direito de receber algum bem ou serviço por já ter oferecido a outros algum bem ou serviço. Que invenção bonita é o dinheiro! O pedreiro, que assentou tijolos, leva consigo a nota de cem reais que comprova ter ele colaborado para construir o abrigo de uma família. Com esse documento nas mãos ele entra no supermercado e volta para a casa com a sacola cheia do alimento que garante a vida de seus filhos.

A sociedade atual, tão complexa, seria um caos sem o dinheiro. Mas como tudo que é sagrado pode ser corrompido, também o dinheiro, símbolo do suor de quem luta para sobreviver com dignidade, deixou de ser o que é: um facilitador da troca amorosa de bens e de serviços, para se tornar, na expressão de Marx, um fetiche.

A idolatria do dinheiro, a voracidade de tudo possuir, a insegurança de não ter e o medo de ficar sem, paralisam o que de melhor existe no ser humano: a alegria da reciprocidade. Há os que acumulam por acumular e morrem sem ter colaborado para a construção do bem comum através do dinheiro que ganharam. Há ainda os que assaltam, carregando títulos de serviços prestados por outros. Há os que dilapidam e se apropriam indebitamente desta coisa bonita, chamada imposto, e que deveria ser oferecida com a alegria de quem se coloca a serviço do bem comum. Mas há pessoas generosas, empresas conscientes de sua importância na construção da paz social, há uma economia de comunhão em andamento no mundo. Nem tudo está perdido.

Mas o que pensar das compras e vendas por ocasião do Natal? E dos presentes? Admirável comércio este que celebramos no Natal. Que troca estupenda! “Ele se fez pobre para nos enriquecer com Sua pobreza”. Seu presente é Sua Presença. Há filhos de pais ricos que ganham presentes, mas não recebem o mais desejado: a Presença, o diálogo, a troca amorosa. Natal é tempo de receber o Presente. Não precisa de dinheiro, basta preparar o coração. Ele veio a primeira vez na humildade, despojado de qualquer poder, em tudo igual a nós, – só não pecou e nem estava inclinado ao pecado –, para salvar-nos da desgraça que nós mesmos havíamos construído. Ele foi, desde a manjedoura, presença da infinita misericórdia de nosso Deus e Pai que n’Ele, seu Filho Unigênito, se curvou sobre nossa miséria e pequenez para envolver-nos em sua infinita ternura.

Os pastores, ao se abeirarem do Recém-Nascido, n'Ele viram uma pobre Criança como as que lhes nasciam em suas próprias casas. Leram-Lhe, entretanto, a infinita dignidade nos olhos enternecidos da mãe que, em profundo silêncio, contemplava no improvisado e pobre berço, envolto nos panos de nossa humana fragilidade, o mistério que lhe acontecera quando da anunciação do Anjo e que por nove meses ela abrigara em seu virginal ventre. Em tão adversas e inesperadas circunstâncias lhe nascera o Filho e sua alma continuou a cantar com igual alegria o hino de exultação pelo poder de seu Deus, que escolhera vir pobre entre os mais pobres. Dispersem-se os soberbos e caiam por terra os poderosos diante do mistério da onipotência amorosa de Deus, que vence todas as distâncias para mergulhar em nossa condição, – até a cruz – e deixar-se tomar pelas nossas trevas para iluminar-nos com Sua luz. Ele virá uma segunda vez para abolir definitivamente toda escravidão e instaurar o dia sem ocaso, só feito de luz, na justiça e na verdade, alegria eterna de um amor sem fim.

Entre a primeira e a segunda vinda estamos nós. Se acolhermos a mensagem da primeira, Ele faz morada em nós, com o Pai e com o Espírito, e nós poderemos já pré-gustar, no caminho, a felicidade da chegada e do encontro definitivo. Seja este Advento o tempo de meditar essas coisas e com Maria experimentar a verdade do Natal: encontro com o Deus que vem. Para isso, escutemos João Batista, pois ele é a “voz que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai as veredas para ele.

Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas, as vias tortuosas serão endireitadas e os caminhos esburacados, aplanados. E todos verão a salvação que vem de Deus” (Lc 3,4-6). E João recomendava: “Quem tem duas túnicas, dê uma a quem não tem e quem tiver comida faça o mesmo...” E aos cobradores de impostos: “não cobreis mais do que foi estabelecido”...E aos soldados: “não maltrateis a ninguém, nem tomeis dinheiro à força...” (Lc 3, 10-14). Cada um de nós tem o que mudar na própria vida.

Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues
Arcebispo de Sorocaba

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Preparação para a Confissão -Exame de Consciência

A Confissão é o meio certo de eu receber o perdão de meus pecados. Foi Jesus quem deu aos padres o poder de perdoar os nossos pecados. Jesus falou: “A quem vocês perdoarem os pecados, os pecados serão perdoados. (Cf. João, 20, 19-23). Só a confissão bem feita é que perdoa os pecados. Para a confissão ser bem feita, eu preciso:
do EXAME para eu achar os meus pecados.
do ARREPENDIMENTO para eu ter mágoa de ter desobedecido a Deus (Lc. 18,13; Mt.26,75; Lc. 15,21)
do PROPÓSITO e da vontade séria de não querer pecar mais
da CONFISSÃO para eu contar os pecados ao padre
da SATISFAÇÃO para eu rezar ou fazer aquilo que o padre indicar
PECADO ESQUECIDO na confissão, fica perdoado se eu fiz bem o Exame de Consciência.. PECADO ESCONDIDO na confissão NÃO FICA PERDOADO e eu NÃO POSSO COMUNGAR: tenho de fazer outra Confissão. Está errado pôr comida limpa em prato sujo. Está errado receber Jesus na Comunhão num coração sujo de pecado grave. Primeiro a gente lava o prato e depois põe a comida. Primeiro eu tenho de lavar a minha alma com uma confissão bem feita, depois recebo a Jesus na Comu
nhão. (1 Cor. 11,23-29).

ANTES DO EXAME DE CONSCIÊNCIA
Oração:
“Meu Senhor e meu Deus, dá-me LUZ para conhecer os meus pecados, e GRAÇA para deles me arrepender. Minha Mãe Imaculada, São José, meu pai e senhor, meu anjo da guarda, intercedei por mim. Amém.”


(O melhor será, para fazer uma confissão ÍNTEGRA, anotar em um papel à parte, os pecados a serem confessados)

* Há quanto tempo não me confesso?
* Deixei, em alguma confissão anterior, algum pecado grave sem confessar?
* Deixei de rezar de manhã e de noite?
* Faltei à Santa Missa aos domingos e dias de Preceito?
* Fiquei fora da Igreja ou não prestei atenção?
* Fui à Santa Missa com roupas indecentes?
* Cheguei tarde à Sta. Missa, por culpa própria?
* Deixei de guardar o jejum e abstinência de carne nos dias prescritos pela Igreja?
* Por minha culpa, rezei mal, conversei na Igreja?
* Deixei de estudar a Religião?
* Li algum tipo de literatura contra a fé católica?
* Duvidei de alguma verdade da Fé, perdi a Fé em Deus?
* Tive vergonha de demonstrar minha Fé Católica?
* Deixei de ajudar a Igreja com o dízimo?
* Freqüentei outras religiões ou seitas?
* Fui ao Espiritismo, umbanda, benzedeiras?
* Acreditei em horóscopos, tarôs, búzios, sortilégios etc.?
* Falei o nome de Deus sem respeito?
* Jurei por Deus, jurei falso?
* Blasfemei ou disse palavras injuriosas contra Deus?
* Fiz promessas e não as cumpri?
* Deixei de fazer a Páscoa (Confissão e Comunhão)?
* Sem necessidade, trabalhei nos domingos e dias de Preceito?
* Desobedeci, fui malcriado, xinguei meus pais?
* Ofendi gravemente meus irmãos ou outras pessoas?
* Entristeci, de alguma forma, a meus pais?
* Desleixei a educação de meus filhos?
* Deixei de corrigi-los?
* Dei-lhes mal exemplo?
* Tratei mal minha esposa (meu esposo)?
* Fui grosseiro(a) em casa?
* Pensei mal, falei mal dos outros?
* Falei mentiras, fiz fofocas, fiz intrigas?
* Caluniei os outros em coisas graves?
* Roguei pragas a alguém?
* Briguei sério com alguém?
* Neguei-me à reconciliação?
* Guardei raiva, desejei ou cometi vinganças?
* Ofendi alguém com palavras pesadas?
* Agredi alguém?
* Prejudiquei gravemente a alguém?
* Desejei mal a alguém?
* Descurei de minhas obrigações profissionais ou familiares?
* Fui culpado em levar alguém a pecar?
* Convidei ao pecado?
* Maltratei os animais?
* Prejudiquei a natureza?
* Por querer, olhei e pensei coisas indecentes?
* Conversei, li ou assisti coisas indecentes?
* Não afastei os desejos de cometer atos impuros?
* Cometi atos impuros no meu corpo?
* Cometi atos indecentes com outras pessoas (solteiras, casadas, do mesmo sexo ou de outro sexo)?
* Tirei a honra de alguma garota?
* Provoquei a alguém a fazer atos indecentes comigo?
* Usei roupas indecentes?
* Fui ocasião de pecado?
* Participei de divertimentos perigosos para a moral?
* “Fiquei” com alguém?
* Namorei só para aproveitar-me?
* Pedi “prova de amor” à namorada(o)?
* Entreguei-me ao (à) namorado(a)?
* Namorei pessoas casadas, divorciadas?
* Usei meios imorais para “controlar” a gravidez (pílulas, diu, ligadura de trompas, vasectomia, preservativos)?
* Fiz aborto?
* Aconselhei ou ajudei, de alguma forma, alguém a abortar? (*)
* Traí, ainda que por pensamentos ou desejos, minha esposa (meu esposo)?
* Roubei alguma coisa importante?
* Ainda não restituí?
* Comprei coisas roubadas?
* Ainda as tenho comigo?
* Dei prejuízo grave a alguém e ainda não paguei?
* Comprei e não paguei, pedi emprestado e não devolvi?
* Gastei dinheiro a toa, fui ganancioso?
* Caí no vicio do jogo?
* Fui guloso?
* Comi ou bebi demais, embriaguei-me?
* Usei qualquer tipo de droga?
* Disse mentiras?
* Caluniei alguém?
* Por querer, abandonei os estudos ou o trabalho?
* Passo o tempo vadiando?
* Confessei-me mal, escondendo pecados?
* Comunguei com pecado grave?
* Pequei, dizendo: “depois me confesso?”

Corpo: templo ou manequim?





Espelho, espelho meu existe alguém mais bonito do que eu?

Já escutou esta frase antes?

Ou saindo em um sábado a tarde nas ruas de sua cidade você vê que as mesmas se transformam em passarelas. Roupas expostas em corpos planejados desfilam pelas ruas, ou músculos planejados são alvo de camisas que dão volume ao número de esteróides.

Preto, branco, laranja…qual a cor da moda?

Será que caminhamos para seguir estilos ditados por…por..por..

Por quem?

Hum, boa pergunta quem dita a cor da moda o estilo e tal…?

Outra coisa, se a beleza fosse algo tão bem determinado porque os padrões mudam com o tempo?

Será que não nos perdemos nas vitrines da vida e desta forma perdemos nosso verdadeiro estilo?

Quando se fala de se vestir podemos correr grandes riscos. Primeiro de ir na onda de modinhas que só existem para alimentar nosso jeito consumista. Segundo não assumir um jeito Cristão de se vestir e depois o pior, perder o estilo - a identidade de pessoa

Cuidar do corpo e se vestir bem é querer corresponder a beleza criadora de Deus. O papa João Paulo II já dizia isso em sua carta aos artistas: “O homem nasceu para a beleza e a missão da Igreja é conseguir que os homens vão vivendo sua vida de tal maneira que alcancem e experimentem a beleza gloriosa do Filho de Deus feito homem, morto e ressuscitado por nós.”

O corpo não é manequim de vitrine e sim templo! E templo requer cuidado, requer beleza.

Ou por acaso você gosta de uma Igreja que não possui flores, toalhas bonitas e um cheiro agradável?

Da mesma forma nosso corpo como templo do Espírito precisa ser cuidado e embelezado.

E quando o corpo se torna manequim?

Quando perdemos o essencial: nossa identidade de cristão!

O bom senso está em todo cristão que se abre ao Espírito Santo. Até no se vestir é necessário pedir o bom senso…

Agora sim… Com estilo possamos embelezar o mundo com a beleza de Deus!

Tamu junto

Não tenho tempo para Deus!


Segunda-feira começa!

Acordar as 5 da matina, tomar um café bem rápido! Pegar um ônibus lotado… um trânsito engarrafado e aquele cheirim de resultado de fim de semana ( Nem te falo o que é rsrs). Chegar no trabalho pegar aquele monte de relatórios e tentar solucionar… Trabalhar a manha toda tentar resolver tudo e não conseguir… ei, ei, deu a hora do almoço… vamos almoçar bem rápido pois o trabalho está a espera… ufa… Mais uma tarde cheia de compromissos, e quando você menos imagina deu 18 hrs… e como diz a Regulamentação do Trabalho…só 8 horas de trabalho diário… perai já deu…tchau estou indo…. tenho que pegar o busão e ir pra facul.

Tabelas, gráficos, provas e seminários tudo de uma vez só!

Chegar as 11 da noite comer alguma coisa e dormir pois sabe o que te espera?

A terça-feira!!!

Se você tem uma vida assim… seja bem vindo a vida moderna!

Tanta coisa para fazer e realizar!

Ai te pergunto como rezar? Que horas parar? Será possível ter um tempo pra Deus quando parece que todo ele já se foi em tarefas e compromissos???

Até entender o que era oração, pensava que não tinha tempo para Deus! Pois eram muitos compromissos!

Mas hoje sei que oração nada mais é que deixar Deus olhar para mim! Em tudo!

Tudo que faço deixar o olhar dEle se revelar a mim!

Em cada relatório, cada pessoa que ligo, cada conversa na estação do metro! Ele me olha!

Em tudo Deus me olha! E o olhar de Deus é guardar, é cuidar, é amar!

E assim posso dizer não tenho tempo para Deus… pois todo o tempo é Dele!

E você como vive seu tempo com Deus?

Tamu junto

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Santo de calça jeans!



Ser jovem é muito bom. É nesta fase da vida que nossos sonhos desabrocham, é nesta fase da vida que queremos mudar tudo e todos.

Uma fase de fazer a diferença!

“A juventude não é apenas um período de vida (…), mas uma qualidade de alma que se caracteriza precisamente por um idealismo que se abre para o amanhã.” (Joao Paulo II)

Unir minha jovialidade com a certeza de que Deus está comigo é totalmente possível Ele não me tira nada, pelo contrário Ele me dá tudo! Ele se faz meu amigo no presente, e tem a minha história na sua mão: nela segura firmemente o meu passado, com as fontes e os alicerces do meu ser; nela guarda ansiosamente o futuro, e me faz vislumbrar a mais bela alvorada de toda a minha vida. É com esta mão forte que conto quando caio e não quero ficar largado no chão. Ele tem a voz que ecoa no silêncio do meu coração me acordando pra vida.

“Quando o jovem não se decide, corre o risco de ficar uma eterna criança!( Bento XVI)”

Não quero ser criança quero crescer! Quero me decidir! Hoje me decido a ser Santo! Santo de calça Jeans.

Tomo a coragem de ter decisões definitivas porque sei que na verdade são as únicas que não destroem a minha liberdade, mas criam a justa direção, possibilitando seguir em frente e alcançar algo de grande na vida. Algo que me é garantido!

A vida eterna!

Dentre todas as minha decisões! Encontra-se esta:

Quero ser Santo de Calça Jeans.

Quero estar no mundo; e saber saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não quero ser mundano! Sou cristão! Sou Católico! E me decido a amar esta Igreja que é viva e é jovem!

Assumo João Paulo II como meu intercessor e que eu possa anunciar sem medo que Cristo é a única resposta para todas as perguntas do homem

E você, qual a sua decisão?

Dando um “F5″…




Estou atualizando minha vida. Como passa o tempo e “notícia velha irrita muita gente” eu procuro atualizar minha vida a cada momento. Dar um F5 é ter a certeza que algo de bom aconteceu naquela situação que estava parada na janela do meu “Windows”.

Às vezes no ato de atualizar, dar F5, encontro situações que “não responde ao sistema”. Situações que “travam” outros programas. Privam-me de te acesso aos meus relacionamentos. Nesta hora é preciso ter coragem de dar um Ctrl + Alt + Del bloquear situações, fechar janelas. E se preciso for desligar ou fazer “logof”.

Lembro do passado como um aprendizado, não como uma prisão, vivo o presente, semeando no hoje os frutos do amanhã. Deixo arquivado aquilo que me promove como pessoa.

Revejo atitudes, analiso se algo não precisa ser mudado, se descobrir que sim, procuro não me envolver com a angústia, e sim com a serenidade que é o primeiro passo para que a mudança ocorra. Lixeiras também precisam ser esvaziadas. É preciso ter coragem de formatar minha história.

Vivo o luto, porque se não chorarmos nossas dores, não podemos fechar um ciclo e iniciar outro e a vida é constante renovação, então não paralisemos nossos passos e nem nos tornemos descrentes, aprendamos a viver.

Um novo comando pode ser dado!

Agora envio pra você este SMS:

“Aumente a memória de seu relacionamento com Deus e compartilhe com os que ama aquilo que foi registrado em seu coração.”

Creia, ser gente é ter capacidade de dar esc quando precisa, F5 a cada dia, e também reiniciar quando tudo deu errado na certeza de que novas janelas te são oferecidas.

Tamu junto!

Esporte ferramenta de evangelização para Juventude


Entrevista com o padre Javier Agudo García

ROMA, segunda-feira, 9 de novembro de 2009 (ZENIT.org).- Concluiu esse sábado em Roma o seminário “Esporte, educação e fé: para uma nova estação do movimento esportivo católico”, organizado pelo Conselho Pontifício para os Leigos.

ZENIT falou com o sacerdote espanhol Javier Agudo García, 54 anos, religioso das escolas pias dos escolápios, provincial regional na Espanha, que pertence à Federação local de Tiro com Arco e Montanhismo.

–Que diferença faz olhar o esporte com os olhos da fé?

–Javier Agudo: A fé é uma maneira de olhar o mundo, não apenas uma série de práticas, mas uma posição concreta. O esportista crente há de olhar o outro não como um inimigo. É uma maneira diferente do que se difunde no esporte profissional, onde há muito dinheiro e quem perde não ganha. Para nós, Deus é o grande árbitro e os valores cristãos são guias. Isso influencia, marca uma diferença como em qualquer atividade, entre quem vê do ponto de vista da fé ou quem o faz de outra perspectiva.

–Como o esporte pode aumentar ou fortalecer a fé de quem o pratica?

–Javier Agudo: Pelos hábitos e valores em que está presente. É importante o testemunho dos educadores. De uns bons educadores, entre o que se faz e o que se vive. O esporte converte-se assim em uma pequena escola na sociedade. Quando o esportista chegar a ser profissional, já terá que competir não no campo do esporte, mas com os advogados, médicos, químicos ou físicos. E poderá aplicar assim os valores que aprendeu quando jovem durante suas práticas esportivas.

–Em sua experiência no trabalho com os jovens, viu discernimento vocacional à vida consagrada através da prática do esporte?

–Javier Agudo: Devo dizer que não costuma ser tão milagroso ao ponto de chegar ao tema da vocação, mas proporciona uma aproximação a Deus. O esporte é um excelente lugar para que o jovem se aproxime do convívio com os outros. Os meninos com quem trabalho são de famílias cristãs e o fato de entrarem em contato com outros os leva a uma aproximação a Deus.

–Algum santo esportista a quem tenha devoção?

–Javier Agudo: São Paulo fez muita referência ao esporte, especialmente na primeira carta aos coríntios, em analogias com a vida cristã. É importante tê-lo em conta ainda mais agora que acabamos de encerrar o Ano Paulino. Foi um homem com uma visão que valorizava o esporte como lugar e espaço de esforço pessoal.

–Que tipo de ameaça o esporte vive hoje?

–Javier Agudo: As ameaças que o mundo de hoje vive. A competitividade que tem Deus no dinheiro. Uma competitividade muito dura, que faz que o homem use de meios como o dopping, porque o que importa já não é o esforço, mas só ganhar. Assim, os valores essenciais se desfazem.

–Como o senhor vê o fato de que a Santa Sé dê um espaço para o esporte por meio deste seminário?

–Javier Agudo: Como dissemos, o esporte é uma parcela da educação. O fato de a Santa Sé estar detrás dos que trabalham com a educação católica significa que há apoio. Assim nos damos conta do potencial não só evangelizador, mas de toda pedagogia inicial que leva a criança a compreender o Evangelho.

Cardápio do Dia!

E aí Galera!
Aqui vai o Cardápio do Dia!
O Clipe Anjo Guardião!
Gravado pelo Ministério Canal da Graça!
Tenho certeza de que você vai gostar muito!
Vamos valorizar os talentos de nossa igreja!
Deus Abençoe a Todos!
VLW!

video
AGORA QUE VOCÊ CURTIU A MÚSICA, RESPONDA:
"EU POSSO DIZER QUE TENHO UM ANJO GUARDIÃO?"
"ALGUEM QUE ME MOSTRA JESUS, SEJA NA RUA, NOS MOMENTOS EM QUE FAZER O ERRADO PARECE SER O CERTO?"
PENSE BEM, DEIXE SEU COMENTÁRIO E FAÇA UMA PEQUENA HOMENAGEM AO "SEU ANJO GUARDIÃO!"

domingo, 8 de novembro de 2009

Fiquei, e daí?


interrogacao.jpg

Daí é aquela história: “Quem ficou, ficou. Quem não ficou, adiante vai.”
O dicionário já explica tudo:

Ficar: vt estacionar, restar; sobrar, ser adiado, transferido. Obrigar-se (a alguma coisa)
Daí que você é importante demais para “sobrar”, “restar”, “ser transferido”. Fala sério…
Daí que você tem um coração batendo no peito, sonhos, sentimentos, lembranças, ideais e isso o faz caminhar e chegar looonge…
Ficar é perda de tempo, de identidade, é obrigar-se a paralisar todo o movimento em você.
Não estacione! Tem uma estrada enorme para percorrer!
Não adie a caminhada! É tempo de avançar, sem medo!
Não pare!
Não fique!
Tudo o que é ativo e está vibrando dentro de vc: corpo, sentidos, necessidade de compania, desejo de ser feliz, inteligência, faça combustível e veículo! E pé na estrada!

Caminhando sempre, porque “quem ficou, ficou………… quem não ficou, adiante vai……”!

xiiiiiiii!!!!!!!


esposa.jpg

Prezado Técnico,

Há um ano e meio troquei o programa [Noiva 1.0] pelo [Esposa 1.0] e verifiquei que o Programa gerou um aplicativo inesperado chamado [ Bebê.exe ] que ocupa muito espaço no HD. Por outro lado, o [Esposa1.0] se auto-instala em todos os outros programas e é carregado automaticamente assim que eu abro qualquer aplicativo.

Aplicativos como [Cerveja_Com_ A_Turma 0.3], [Noite_De_Farra 2.5] ou [Domingo_De_Futebol 2.8], não funcionam mais, e o sistema trava assim que eu tento carregá-los novamente.

Além disso, de tempos em tempos um executável oculto (vírus) chamado [Sogra 1.0] aparece, encerrando Abruptamente a execução de um comando. Não consigo desinstalar este programa. Também não consigo diminuir o espaço ocupado pelo [Esposa 1.0 ] quando estou rodando meus aplicativos preferidos. Sem falar também que o programa [Sexo 5.1] sumiu do HD.

Eu gostaria de voltar ao programa que eu usava antes, o [Noiva 1..0], mas o comando [Uninstall.exe] não funciona adequadamente. Poderia ajudar-me? Por favor!

Ass: Usuário Arrependido

esposa1.jpg

RESPOSTA:

Prezado Usuário,

Sua queixa é muito comum entre os usuários, mas é devido, na maioria das vezes, a um erro básico de conceito: muitos usuários migram de qualquer versão [Noiva 1.0] para [Esposa 1.0] com a falsa idéia de que se trata de um aplicativo de entretenimento e utilitário.

Entretanto, o [Esposa 1.0] é muito mais do que isso: é um sistema operacional completo, criado para controlar todo o sistema! É quase impossível desinstalar [Esposa 1.0] e voltar para uma versão [Noiva 1.0], porque há aplicativos criados pelo [Esposa 1..0], como o [ Filhos.dll ], que não poderiam ser deletados, também ocupam muito espaço, e não rodam sem o [Esposa 1.0].

É impossível desinstalar, deletar ou esvaziar os arquivos dos programas depois de instalados. Você não pode voltar ao [Noiva 1.0] porque [Esposa 1.0] não foi programado para isso. Alguns usuários tentaram formatar todo o sistema para em seguida instalar a [Noiva Plus] ou o [ Esposa 2.0], mas passaram a ter mais problemas do que antes (leia os capítulos ‘Cuidados Gerais’ referente a ‘ Pensões Alimentícias’ e ‘ Guarda das crianças’ do software [CASAMENTO].

Uma das melhores soluções é o comando [DESCULPAR.EXE /flores/all] assim que aparecer o menor problema ou se travar o micro. Evite o uso excessivo da tecla [ESC] (escapar). Para melhorar a rentabilidade do [Esposa 1.0], aconselho o uso de [Flores 5.1], [ Férias_No_Caribe 3.2] ou [Jóias 3.3]. Os resultados são bem interessantes!

Mas nunca instale [Secretária_De_ Minissaia 3.3], [Antiga_Namorada 2.6] ou [Turma_Do_Chopp 4.6], pois não funcionam depois de ter sido instalado o [Esposa 1.0] e podem causar problemas irreparáveis no sistema. Com relação ao programa [Sexo 5.1] esquece! Esse roda quando quer.

Se você tivesse procurado o suporte técnico antes de instalar o [Esposa1.0] a orientação seria: NUNCA INSTALE O [ESPOSA 1.0] sem ter a certeza de que é CAPAZ de usá-lo!

Agora…. Boa sorte!

Beijo …


beijo.jpg

Amor é dom e acolhimento.O beijo, por sua vez, é um belíssimo símbolo de amor; ele é sinal, ao mesmo tempo, do dom e do acolhimento.

Um beijo não será realmente dado, se não for acolhido. Lábios de mármore, de uma estátua, não acolhem um beijo; é preciso que sejam lábios vivos. Ora, lábios vivos são lábios que acolhem e dão, ao mesmo tempo.
O beijo é um gesto admirável, e é precisamente por essa razão que não devemos prostituí-los, brincar com ele mas, sim reservá-lo como um sinal de alguma coisa extremamente profunda .
O beijo é a troca de sopros que significa uma troca de nossas profundezas: eu sopro em você, eu me expiro em você e a inspiro em mim de tal forma que eu esteja em você e você esteja em mim.” (Francois Varillon)

Francois Varillon (1905 - 1978)

Um dos mestres de espiritualidade mais lidos da nossa época, o padre Varillon nasceu na França e entrou para a Companhia de Jesus em 1930.

Participou ativamente da resistência ao nazismo durante a ocupação da França, tornando-se em seguida professor de jovens jesuítas, conferencista muito solicitado e pregador de retiros. Profundamente interessado em questões artísticas, citava sempre Claudel e Wagner (depois de Fénelon)como motivos de inspiração constante. O trecho seguinte foi extraído de um de seus livros mais conhecidos, “A humildade de Deus”.
“Deus respeita de modo absoluto a liberdade do ser humano. Ele a criou, e não foi para petrificá-la, ou violentá-la. É por isso que ele jamais grita, nem impõe. Ele sugere, propõe, convida. Ele não diz “Eu quero”, mas “Se tu quiseres … ”

Expressões como “os mandamentos de Deus” ou “a vontade de Deus” devem, assim, ser tomadas com cuidado, e compreendidas segundo o amor. Deus não repreende: ele deixa esse cuidado à nossa consciência. “Ele é maior que o nosso coração”, diz são João na sua primeira carta. Ele fica escondido para não se tornar irresistível.. A sua invisibilidade é uma forma de pudor”.

Anel de compromisso.

Por que a aliança é usada no 4º dedo???

Uma lenda chinesa conseguiu explicar de uma maneira bonita e muito convincente:

Os polegares representam os pais.
Os indicadores representam teus irmãos e amigos.
O dedo médio representa a vc mesmo.
O dedo anelar (quarto dedo) representa o seu cônjuge.
O dedo mindinho representa seus filhos.
Agora junta suas mãos palma com palma, depois, une os dedos médios de forma que fiquem apontando a vc mesmo, como na imagem….

anel-de-compromisso.JPG

Agora tenta separar de forma paralela seus polegares (representam seus pais) você vai notar que eles se separam porque seus pais não estão destinados a viver com vc ate o dia da sua morte, una os dedos novamente.

Agora tenta separar igualmente os dedos indicadores (representam seus irmãos e amigos), você vai notar que também se separam porque eles se vão, e tem destinos diferentes como se casar e ter filhos.

Tente agora separar da mesma forma os dedos mindinhos (representam seus filhos) estes também se abrem porque seus filhos crescem e quando já não precisam mais de nos se vão, una os dedos novamente.

Finalmente, tente separar seus dedos anelares (o quarto dedo que representa seu cônjuge) e você vai se surpreender ao ver que simplesmente não consegue separá-los. Isto se deve ao fato de que um casal está destinado a estar unido até o último dia da sua vida e é por isso que o anel se usa neste dedo.

Pegar ou ser pego?

“Peguei uma, peguei duas, peguei três eu quero mais é beijar na boca!”

Mas o vazio também se pega!

Solidão também se pega!

Se pega um entorpecente e se diz “alegre”!

Pegar é o jeito mais simples de travar contato físico. Consiste em trocar meia dúzia de palavras, conseguir o sorriso de aprovação e tascar o beijão desentupidor de pia. Hoje não se flerta, se pega. Sorrisinhos besta? Bilhetinhos amorosos? Passa amanhã! Ah, e sem essa de pedir o orkut/msn, porque o que conta aqui é a-ti-tu-de.

Mas não quero ter uma atitude vazia assim!

Minha atitude é de não pegar mas:

Ser pego!

Quero ser pego!

Quero fazer a opção de ser pego de uma vez por todas, por Aquele que nunca me abandonou.

Quero ser pego por Aquele que fica comigo, sim, Ele fica comigo quando todos já foram embora!

Quero ser pego e nunca largado, pois, quando me encontro com “Ele” não tem mais horário marcado! Sempre é hora!

Quero ser pego naquilo que tenho de mais importante que sou!

Neste carnaval quero pegar “Dele” tudo o que ele tem pra mim!

Alegria, presença, força!

E aquela palavra que cala fundo no coração: “Coragem”

Então eu posso cantar o meu refrão que tem vida e tem som:

“Nada de tristeza, viva a Alegria”.

Mas ai eu te pergunto quem você quer pegar?

Quer pegar “Ele”: Jesus?

Quanto tempo você tem?


Passam os dias
As horas passam depressa bem diante dos seus olhos
Você diz: Tenho que zoar, curtir, aproveitar a vida

Tenho todo tempo do mundo, todo tempo do mundo

Será ?

Ninguém sabe o dia ou hora nem nunca saberá

Pense bem!

Quanto tempo você tem? Quanto tempo você tem?
Será que você sabe quanto dura a vida?
Isso não dá pra dizer.
Ninguém saberá .
Quanto tempo você tem? Quanto tempo você tem?
Tem que aproveitar o dom pra fazer o bem.

Quanto tempo você tem?

Não sou praça pública!


Caramba, a praça da minha cidade é muito bacana! Com jardins e até um chafariz! Bancos bem confortáveis. Grama verdinha! E te digo mais, passa tanta gente ali que a praça virou o point da galera! Mas olhando para aquela praça vejo que muitos passam, ficam um pouco e vão embora! Alguns têm a cara de pau de jogar no chão: papel de bala, garrafa de refrigerante e muitos outros lixos. Têm alguns que entram no jardim pisam na grama e destroem as flores. O que isso tudo tem a ver? Não, não estou fazendo um apelo ecológico! Mas também! Quero falar de outra natureza que está sendo destruída! A minha, a sua! Quantas pessoas passam em nossas vidas e nos tratam como praça pública. Passam ficam um pouco e partem deixando seus lixos. Nem voltam para reconstruir os jardins pisados! Perguntar os sentimentos que ficaram! Hoje quero abrir o coração! Quero falar sem medo! Quero tocar no que realmente sou! Deus acontece plenamente no nosso coração quando nós nos permitimos ser aquilo que somos. Sem deixar o outro destruir a natureza que somos: filhos de Deus! Não seja aquilo que dizem que você é. Parece estranho, mas não podemos dar aquilo que não temos. Se você não descobrir que você é sagrado, você não vai perceber a sacralidade que o outro é! Quem não se ama não sabe amar ninguém. É uma pessoa ausente de si mesma. Cuide de você! Cuide de sua natureza! “Preserve-se”! Tome posse do que você é para depois dar-se ao outro. E se hoje precisa colocar uma placa escrita: Preserve a natureza! Coloque! Você não é praça pública! Você é filho! Território Santo! E se tem que limpar o território não tenha medo. Comece! Vamos reconstruir juntos! Estou levantando os bancos que foram derrubados por pessoas que não souberam amar! Pois acredito que outros podem entrar e sentar! Estou certo de que não sou praça pública! Sou lugar que tem dono! Sou de Deus! Vamos nos reconstruir? Colocar placas e sinalizar o que realmente somos? Hora de mostrar a beleza que temos, não somos de qualquer um! Somos de Deus, pertencemos a Ele!
Tamu Junto!